PROGRAMAÇÃO
PROGRAMAÇÃO
Notícias
17ª Semana Nacional de Museus acontece de 13 a 19 de maio no Museu da Cultura Cearense e Museu de Arte Contemporânea do Ceará
Conduzido sob o tema 'Museus como Núcleos Culturais: O Futuro das Tradições', evento comemora o Dia Internacional dos Museus fomentando debates e estimulando atividades museológicas. Programação Gratuita
09/05/19 às 15h21

Um momento propício para fomentar debates e estimular a realização e o desenvolvimento de projetos e atividades museológicas que podem ser de curta, média ou longa duração, a 17ª Semana Nacional de Museus promovida pelo Ibram em comemoração ao Dia Internacional de Museus, chega ao Museu da Cultura Cearense e Museu de Arte Contemporânea do Ceará nos dias 13 a 19 de maio. Sob o tema 'Museus como Núcleos Culturais: O Futuro das Tradições', o evento propõe discutir o papel dos museus como centros emanadores e, igualmente, receptores de práticas, costumes e pensamentos de nossa cultura.

 

No dia 18 de maio, também será celebrado o dia nacional pel Luta Antimanicomial, para lembrar que como todo cidadão estas pessoas têm o direito fundamental à liberdade, o direito a viver em sociedade, além do direto a receber cuidado e tratamento sem que para isto tenham que abrir mão de seu lugar de cidadãos. Os museus são instituições que estão a serviço da sociedade e de seu desenvolvimento sociocultural. Sendo assim, devem possibilitar distintas experiências de aprendizagem e possibilidades inclusivas, de forma a valorizar as potencialidades das pessoas com dificuldades de linguagem e comunicação, motoras e psicomotoras, intelectuais, sensoriais e cognitivas, portanto, o Educativo do MAC-Ce trará programações voltadas também para esse universo. 

 

Confira a programação  no Museu da Cultura Cearense e no Museu de Arte Contemporânea do Ceará:

 

MUSEU DA CULTURA CEARENSE (MCC)


 

Dia 13 de maio (segunda)

 

9h às 12h, no Miniauditório do MCC

Oficina de Arteterapia

A arteterapia é uma prática recente que visa a utilização de recursos artísticos, com o objetivo de manifestar os processos individuais através da arte. Nesse sentido, faz-se necessário o entendimento do espaço cultural como ambiente facilitador para a elaboração de tais conteúdos do sujeito. Assim, a oficina se propõe a explorar os campos práticos e teóricos, utilizando-se do Museu da Cultura Cearense como ponte entre eles.

 

Vagas: 10
Inscrição no formulário online:

https://docs.google.com/forms/d/1XehzHSr-rufnYvk1YLjDAqDvtkjKTP5CqJ6ArMqN9wc/edit

De 13/05 (segunda) a 16/05/2019 (quinta)

Ministrantes: Jessiane Kelly (graduanda em Psicologia - UECE e educadora do Museu da Cultura Cearense) e Letícia Lima (graduanda em psicologia - UFC)

Dia 14 de maio (terça)


 

17h às 19h, no Miniauditório do MCC

MESA REDONDA: MUSEUS, SOCIEDADE E FUNÇÃO SOCIAL

Como pensar os museus (históricos, etnográficos e antropológicos) enquanto espaços de pesquisa, preservação e difusão de memórias e tradições, mas ao mesmo tempo entender os seus papéis dentro das transformações na sociedade? Como a instituição museu pode contribuir com seu público e população de sua cidade no que diz respeito aos problemas sociais e questões políticas do mundo contemporâneo? Como fazer para que a sociedade se reconheça no museu?

MINISTRANTES: a confirmar

 

19h, no MCC
ABERTURA DA EXPOSIÇÃO "MEMÓRIAS QUE NÃO ESCREVI", de Sebastião de Paula
 

Dia 15 de maio (quarta)


 

18h às 20h, no Miniauditório do MCC

MESA REDONDA: MUSEUS E TRADIÇÕES INDÍGENAS

Há tradição indígena sendo respeitada, vivida, ensinada no Ceará? Quais são os espaços de preservação dessa tradição, as práticas de difusão e que desafios existem em protegê-la? Como as comunidades indígenas e seus patrimônios culturais resistem frente às problemáticas sociais e políticas da sociedade contemporânea?

MINISTRANTES: Representantes dos Pitaguarys (nomes ainda a confirmar)



 

Dia 16 de maio (quinta)


 

18h às 20h, no Miniauditório do MCC

MESA REDONDA: MEMÓRIA E PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO CULTURAL: QUAL O FUTURO DAS TRADIÇÕES?

O patrimônio cultural é construção social que se renova e modifica. Neste sentido, os museus, enquanto núcleos culturais, são lugares que preservam a cultura e ao mesmo tempo precisam acompanhar as transformações da sociedade.

 

Como abordar a ideia de tradição numa discussão sobre patrimônio? Como lidar com as transformações das práticas culturais? Existe uma "morte" para a tradição ou uma adaptação de acordo com seu espaço, tempo e sociedade? Como construir um museu plural, que leva em consideração toda a diversidade do mundo contemporâneo?

MINISTRANTES: Mateus Django (graduando em História - UECE, membro do Laboratório de Estudos e Pesquisas em História e Culturas - DICTIS - UECE).



 

Dia 17 de maio (sexta)


 

9h30 às 11h30, no Miniauditório do MCC

PALESTRA: NISE DA SILVEIRA E O MUSEU DE IMAGENS DO INCONSCIENTE

Nesta palestra, faremos um percurso sobre a trajetória da médica brasileira, Nise da Silveira, que revolucionou a psiquiatria com o uso da arte, trazendo um debate sobre o valor artístico do trabalho de seus pacientes esquizofrênicos. Também será discutido o estabelecimento do Museu das Imagens do Inconsciente como símbolo para esse status de arte.

MINISTRANTE: Vanessa de Loiola (psicóloga clínica e presidente do espaço cultural Nise da Silveira)


 

18h às 20h, no Miniauditório do MCC
MESA REDONDA - MUSEUS E AS TRADIÇÕES AFRO-BRASILEIRAS

Museus se constituem, originalmente, dentro de uma lógica colonizadora e elitista, mas ao longo dos anos essa lógica vem sendo quebrada de algumas maneiras. Como ressignificar esses espaços e transformá-los em lugares que preservam não só uma cultura europeia, branca, e colonizadora? Como enxergar e como construir um museu plural? Museus também podem ser locais de resistência?

MINISTRANTES: Roberta Gomes (bacharela em Turismo - PUCRS e Museóloga - UFRGS); Paulo Henrique Ferreira (bacharel em Humanidades e graduando em Antropologia - UNILAB, coordenador do movimento negro unificado de Fortaleza, integrante do Grupo de Pesquisa em Estudos Africanos e Epistemologias do Sul e do Projeto de Extensão Cartografias de Corpos e Narrativas, bolsista e elaborador do projeto Áfricas do Joá).



 

Dia 18 de maio (sábado)

 

16h às 18h, local a confirmar
MESA REDONDA: TREM DE DOIDO? SAÚDE MENTAL E HISTÓRIA ANTIMANICOMIAL NO CEARÁ

O Ceará foi um dos expoentes na luta antimanicomial no Brasil e, sobretudo, carrega consigo sua própria História da Loucura. Tendo em vista o mês de Maio como o mês marcado pela luta antimanicomial, a mesa redonda propõe-se a trazer à luz a história dos manicômios no Ceará, promovendo um debate sobre esse tipo de prática e relacionando-os às medidas atuais em saúde mental.

MINISTRANTES: Alessandra Xavier (psicóloga, doutora em psicologia clínica e psicobiologia, professora assistente da Universidade Estadual do Ceará - UECE) e Cláudia Oliveira (Profª Dra. do depto. de História - UFC, Coordenadora do Curso de História - UFC, Coordenadora do GT História, Saúde e Doenças - ANPUH-CE, membro do Fórum Cearense da Luta Antimanicomial - FCLA)

 

 

14h às 16h, no Ateliê dos Museus (Praça Verde)
ENCONTRO - ESPAÇO POLÍTICO (Debate + Oficina de cartazes e colagens destacando as principais pautas dos museus e núcleos educativos na atualidade)

O futuro das tradições está em chamas. Museu enquanto espaço político. Espaço para discutir o sucateamento dos museus, e pensando a partir de uma perspectiva nacional, mas também regional. Como resistir enquanto núcleos culturais em um governo que não investe em cultura?

MINISTRANTES: Núbia Agustinha e Eliene Magalhães (a confirmar)



 

Dia 19 de maio (domingo)


 

16h às 18h, no piso intermediário do MCC
PRA CRIANÇADA! CONTAÇÃO DE HISTÓRIA

Uma história narrada pela atriz que conta, pela voz que é portal do tempo, da existência de onde tudo é, de onde tudo veio. Permeada de histórias a artesã vai tecendo, revelando um olhar entorno da tradição de contar, do imaginário popular. Colhida da escuta, de forma inventada, recontada e contada do jeito nosso de ser? Com gosto de café e boa prosa.

CRIAÇÃO, INTERPRETAÇÃO E ATRIZ QUE CONTA: Ana Patrícia Moura (atriz, contadora de histórias e professora de teatro para crianças e bebês. Artesã de sonhos).



 

MUSEU DE ARTE CONTEMPORNEA (MAC-CE)


 

Dia 14 de maio (terça)

 

14h às 16h, no Auditório

PALESTRA Territórios da Museologia e Educação Museal - Questões multidisciplinares da museologia, história da arte, conservação e educação patrimonial

Convidada: Regina Raick (UVA)

Possui graduação em Sociologia pela Universidade de Brasília(1983), graduação em Licenciatura em Sociologia pela Universidade Nova de Lisboa(1989), especialização em Antropologia pela Universidade de Brasília(1987) e mestrado em História da Arte pela Universidade Nova de Lisboa(1996). Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Antropologia Urbana. Atuando principalmente nos seguintes temas:patrimônio histórico, identidade e cultura, antropologia visual, análise comparada, políticas públicas e preservação.


 

Dia 15 de maio (quarta)

 

14h às 16h, no Miniauditório do Museu da Cultura Cearense (MCC)

OFICINA Processo de Mediação Cultural - Aborda os conceitos básico da mediação museal

Ministrantes: Rachel Bittencourt


 

Dia 16 de maio (quinta)

 

14h30 às 16h, no MAC-CE

OFICINA Prática de Ukulelê - Introdução básica

Ministrante: Carlos Costa

Interessados que já tenham o instrumento, trazê-lo.



 

Dia 17 de maio (sexta)

 

14h às 16h, no Miniauditório do Museu da Cultura Cearense (MCC)

APRESENTAÇÃO Projetos Educativo MAC.CE

Serão apresentados os resultados dos projetos MUSEU EM FLUXO, BEBÊ DADA, MUSEU ACESSÍVEL

Ministrantes: Rayssa Pessoa, Cris Soares e Vinicius Scheffer


 

Dia 18 de maio (sábado)

 

16h às 18h, no Miniauditório do Museu da Cultura Cearense (MCC)

OFICINA Cultura Surda - Sobre Cultura Surda e Identidade Surda

Ministrantes: Alisson Silva (MAC.CE) e Jully Dionizio (MAUC)

 

18h, no Auditório

MESA REDONDA Formação de Arte Educadores

A proposta da mesa é discutir o processo formativo de arte educadores na cidade, os lugares que estão construindo os educadores e os métodos aplicados.

Convidados: Maximiano Arruda (IFCE), Luciane Goldberg (UFC) e Edite Colares (UECE)

Mediador: Vinícius Scheffer


 

Dia 19 de maio (domingo)

 

16h, no Miniauditório do Museu da Cultura Cearense (MCC)|

APRESENTAÇÃO Mulher, fale-me de seu trabalho

A artista visual Sheryda Lopes fala de sua pesquisa em andamento que aborda a invisibilização das mulheres trabalhadoras e artistas. O tema compõe a performance "Mulher, fale-me de seu trabalho" com a provocação: o que aconteceria se as mulheres contassem sua própria história?

Ministrante: Sheryda Lopes


 

18h, no Miniauditório do Museu da Cultura Cearense (MCC)|

APRESENTAÇÃO Narrativas Negras

A construção histórica cearense organiza estruturalmente uma marginalização da presença e da memória dos afrocearences. Validada pelo argumento didático baseado na organização socioeconômica nacional e por outras narrativas que anexam a ausência desses sujeitos na identidade do estado. Apesar de projetado enquanto vanguardista no processo pelo fim da escravidão a cultura afrocearense é apagada e esquecida dessa história: "Ceará: Terra da Luz". O que nos leva a indagação: Onde estão os negrxs cearenses? Existem libertos? A pesquisa estabelece, em um gesto simbólico, um paralelo imaginado entre o discurso reproduzido desde então - que reinventa apagamentos estruturais sobre a afrocearencidade -, e as possíveis formas de vida da cultura afro-brasileira no Ceará pós-abolição.

Ministrantes: Jorge Silvestre e David Felicio

 

 

PARCEIROS