PROGRAMAÇÃO
PROGRAMAÇÃO
Notícias
Museu da Cultura Cearense celebra Dia da Alimentação com roda de conversa e exposição virtuais
Ações apresentam ao público parte do acervo de imagens, objetos e entrevistas do Projeto Comida sobre as práticas alimentares no Ceará.
26/10/21 às 17h04

CENTEC Fábrica Escola. Foto de José Albano.

 

     No mês em que é celebrado o Dia Mundial da Alimentação, dia 16 de outubro, o Museu da Cultura Cearense, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará que integra o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, realiza, nesta semana, duas ações imersivas sobre o acervo do Projeto Comida Ceará que terão como tema "Cultura a gosto: saberes e sabores no museu".

     Na sexta-feira (29), a partir das 17h, em plataforma fechada para inscritos, o fotógrafo José Albano Albano falará sobre as experiências vivenciadas durante a pesquisa de campo e o registro das práticas alimentares que compõem o acervo de imagens do Projeto. Participam também do encontro virtual as pesquisadoras Fátima Façanha e Vládia Lima e a educadora do MCC Ana Paula Braga, que mediará o bate-papo. As inscrições podem ser realizadas no site do Dragão ou pelo link (www.dragaodomar.org.br) ou diretamente no link bit.ly/acaoculturaagosto, com limite de 30 vagas.

     No sábado (30), a partir das 17h, no YouTube do Dragão (youtube.com/dragaodomarcentro) será lançada a exposição virtual homônima. A partir dos registros produzidos pelos irmãos José e Maurício Albano, em formato de vídeo, o recorte evidenciará a biodiversidade, a multiculturalidade e a sustentabilidade da cultura alimentar cearense. Os registros são organizados nas temáticas: paisagem cearense com aspectos do litoral, serra e sertão; agricultura; colheita; pesca; animais; feiras e mercados; insumos; cozinhas; ingredientes; preparo das receitas; pratos prontos; pessoas comendo; baião de dois e utensílios do fazer e do servir.

     Segundo a assessora de Museus do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e coordenadora do Projeto Comida, Valéria Laena, o Museu da Cultura Cearense (MCC) foi um dos primeiros museus do Brasil a desenvolver estudos sobre o tema da alimentação como cultura. Com o Projeto Comida Ceará, há mais de 10 anos se volta para investigar e registrar aspectos dessas práticas alimentares locais, formou-se um fecundo acervo de fotografias e objetos, mas que também privilegia as oralidades a partir de entrevistas, e ações como essa são uma forma de dar visibilidade à atuação do Museu na documentação e no registro material e imaterial. "A documentação fotográfica do Projeto Comida Ceará, com a autoria de dois Mestres da fotografia cearense e brasileira: José Albano e Mauricio Albano, é um dos acervos mais valiosos do Estado do Ceará. Esta coleção reúne conjuntos expressivos de um Ceará plural: nas pessoas, paisagens e ecossistemas; insumos e ingredientes únicos e outros comuns às nossas regiões; experiências agroecológicas de sucesso e assentamentos produtivos; feiras e mercados variados; os animais que ajudam na lida campesina; e muitas cozinhas em suas estéticas próprias. Além das coleções relacionadas à cultura material e do registro de tecnologias e processos culinários tradicionais e outros renovados, o MCC reuniu as pessoas e suas estórias", afirma a pesquisadora.


 

Sobre os debatedores



 

     José Albano nasceu em Fortaleza, em 1944. Formado em Letras pela Universidade Federal do Ceará, foi professor de Inglês e Português, antes de se tornar fotógrafo, atuando com fotojornalismo e publicidade, retratos e documentação cultural. Autodidata no início, obteve, em 1972, o mestrado em Fotografia para os Meios de Comunicação na Syracuse University, com bolsa de estudos da Comissão Fulbright do governo americano. A paixão pelo Ceará estimulou sua documentação fotográfica da paisagem física e humana, incluindo a arquitetura, no interior e na periferia de Fortaleza, cujo tema mais relevante, feito em parceria com o irmão Maurício Albano, foi o registro da cultura alimentar e culinária do estado pelo projeto "Comida Ceará" do Museu da Cultura Cearense, resultando nas ilustrações do livro "Além da Peixada e do Baião - Histórias da Alimentação no Ceará", editado pelo Senac, 2018. Seu trabalho de expressão pessoal está editado no livro "José Albano - 40 Anos de Fotografia" da Terra da Luz Editorial, 2009. Atualmente, dedica parte do seu tempo à edição, digitalização, tratamento e divulgação do seu trabalho fotográfico na Internet.




     Vládia Lima é engenheira de alimentos. Encontrou-se com o Projeto Comida Ceará já em sua segunda fase da pesquisa de campo e desde então vem colaborando em diversas frentes de trabalhos junto ao MCC, participando de seminários, diálogos culturais, análises e decomposições dos arquivos gerados pelo Projeto, apresentações em eventos regionais e nacionais, representação participativa no GT dos Queijos Artesanais Slow Food/Brasil, produções textuais entre outros. Vem atuando como assistente técnica e extensionista rural através de programas desenvolvidos pelo PRONAF/MAPA/SAF e assessora cooperativas e associações de agricultores familiares em diversos estados nordestinos com foco em beneficiamento e desenvolvimento de produtos para a comercialização no mercado livre e acesso aos programas das políticas públicas do PNAE e PAA. Paralelamente é aderente ao movimento nacional de consumidores responsáveis.

 


 

     Fátima Façanha é bacharel em Sociologia pelo Centro de Humanidades da Universidade de Fortaleza - UNIFOR, com especialização em Desenvolvimento Rural e Gestão de Produtos e Serviços Culturais pela Universidade Estadual do Ceará - UECE. Monitora do programa de Educação Ambiental do Projeto Sanear da Secretaria do meio Ambiente do Estado do Ceará - SEMACE; Pesquisadora em Desenvolvimento Local, com foco na Agenda 21 - Prefeitura Municipal de Maranguape; Coordenação de Projetos na Área Social do Programa Capacitação Solidária - AAPCS - Região Metropolitana de Fortaleza; Técnica da Coordenadoria de Patrimônio da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará - SECULT. Desde 2010, é pesquisadora do Projeto Comida Ceará, do Museu da Cultura Cearense, documentando relatos orais sobre a construção das diversas cadeias alimentares do estado do Ceará, com foco nas interfaces entre comida e sustentabilidade.




     Ana Paula Braga é estudante de História pela Universidade Estadual do Ceará; Coordenadora da Área de Humanas do projeto de Extensão TRANSPASSANDO/UECE; educadora do Museu da Cultura Cearense; Agente mobilizadora do Projeto Cinema Nas Redes-Ceará.



Serviço: Museu da Cultura Cearense apresenta "Cultura a gosto: saberes e sabores no museu"
Roda de Conversa
Dia 29 de outubro de 2021 (sexta-feira)
Às 17h em plataforma fechada para inscritos
Inscrições:
bit.ly/acaoculturaagosto

Exposição virtual
Dia 30 de outubro de 2021 (sábado)
Às 17h, no YouTube do Dragão (youtube.com/dragaodomarcentro)

Livre

 

PARCEIROS