PROGRAMAÇÃO
PROGRAMAÇÃO
Notícias
Dragão do Mar recebe de 5 a 9 de dezembro Fotofestival SOLAR, Evento bienal para o fortalecimento de políticas públicas da Fotografia integradas à Cultura e Artes
São exposições fotográficas, debates, conferências, oficinas, feira de publicações, mostra de cinema e ações com o tema ABISMO
03/12/18 às 14h46

Crédito da foto: Adenor Gondim

 

 

O Centro Dragão do Mar e a Escola Porto Iracema das Artes sediam a primeira edição do Fotofestival SOLAR, entre 5 e 9 de dezembro de 2018, com uma série de exposições fotográficas e lançamentos de publicações, mostra de cinema, projeções com apresentações musicais ao vivo, debates, conferências, oficinas e outras atividades artísticas e de formação.


O evento estruturante de caráter bienal, estratégico às consolidações das políticas públicas locais e nacionais nos campos da fotografia e em diálogos com linguagens da cultura e das artes em geral, é realizado pelo Instituto da Fotografia (Ifoto) em parceria com a Secretaria de Cultura do Ceará e o Instituto Dragão do Mar. Com largada em cinco dias de intensa programação, o Fotofestival SOLAR 2018, idealizado pelo fotógrafo e editor cearense Tiago Santana, se prolongará ainda por três meses, até março de 2019, estimando alcançar público em torno de 50.000 (cinquenta mil) pessoas no período de difusões artísticas e formativas da Fotografia e suas transversalidades.


Permeado pelo tema ABISMO, o Fotofestival propõe amplificar reflexões acerca dos tempos vertiginosos no País, que ora ruma ao fascismo, convocando uma centena de convidados e ao público presente às transformações sociais e liberdades, a partir da gratuita e vasta programação. "Terra da Luz", o Ceará torna sua capital território para a realização do SOLAR com extensões além fronteiras, alinhando-se às referências do Estado ser pioneiro na abolição dos escravos no Brasil, como pelas associações à lumi- nosidade do lugar que alargaram caminhos às expressões artísticas e movimentos culturais, em que vicejaram gerações de fotógrafos e artistas visuais, do século XIX aos dias atuais.

 

Pelo importante patrimônio histórico e cultural nesses âmbitos, o Ceará é um lugar propício para impulsionar a região na execução do Fotofestival, que aposta na construção de memórias e na transformação social, através dos saberes e fazeres vinculados à Fotografia e irmanadas linguagens artísticas. Nessa conjunção, o Fotofestival SOLAR 2018 é plataforma de pensamento e de virada política através das artes, comungando nesses instantes de vertigem e obscurantismo que podem de alguma maneira tomar o Brasil, vir a ser solo de abrigo e propulsão iluminados para renovar sopros nos panoramas das artes e cultura contemporâneas.

 

Pensado mais concretamente desde fevereiro, Tiago elenca como parceiros nas diretrizes do SOLAR 2018, profissionais das imagens, agentes, editores, diretores de instituições e de festivais nacionais de Fotografia, que encontrou na gestação do projeto. Tiago baseia a realização do Fotofestival graças ao destacável histórico da Fotografia no Estado, tendo premissas "desde os movimentos na introdução secular do fotografar no Ceará, amplificadas em experimentações que revelaram personalidades de mestres locais, como Luciano Carneiro e Chico Albuquerque, além de reminiscências importantes em eventos do InFoto nos anos 80; nas Semanas Nacionais de Fotografia aqui sediadas; edições do DeverCidade e Encontros de Agosto em anos mais próximos até às aberturas atuais de espaços representativos para o segmento, como o Museu da Fotografia e o recente festival Verbo Ver".

 

O pioneirismo do Fotofestival se cumpre na realização do Ifoto, mas já conta na parceria do Governo do Estado para sua continuidade com ainda maiores itinerância e interiorização em próximas edições, vislumbrando garantias em investimentos para manter as próximas edições do fotofestival. "O SOLAR resulta ainda do posicionamento geográfico privilegiado do Ceará com o Mundo, em vínculos, sobretudo com agentes culturais da América do Sul, África e Europa, que tendem a se engrandecer nas bienais de 2020 e 2022", pontua.

 

Na primeira edição, o SOLAR objetiva investir e investigar as fronteiras das linguagens, envolvendo relevâncias críticas e de questionamentos aos nossos tempos, como terreno para experimentações e diálogos da fotografia em convergência dinâmica com a pintura, literatura, cinema, música e na irradiação multicultural de aliciamentos para assinalar e ponderar sobre os poderes da imagem memorial e contemporânea.

 

Já no lançamento, reúne representativa leva com mais de 100 (cem) convidados do Ceará, Brasil e do mundo, entre fotógrafos, artistas, escritores e músicos. Além dos curadores e expositores no evento, algumas solares presenças do Fotofestival são as do artista visual espanhol, professor, crítico e curador Joan Fontcuberta; do fotógrafo e curador mexicano Pablo Ortiz Monasterio, grande editor de livros que também reavivou memórias imagéticas dos compatriotas Frida Kahlo e Diego Rivera; o ilustre editor francês Pierre Bessard; a de Nair Benedicto, premiada fotógrafa ligada às questões sociais e políticas, particularmente na América Latina; a inglesa naturalizada brasileira Maureen Bisilliat, imponência do fotojornalismo e no registro das populações em regiões distantes do País; assim como do fotógrafo carioca Joaquim Paiva, grande colecionador e artista com respaldada peculiaridade em diários auto- biográficos visuais; e, entre outros célebres, o laureado curador de Fotografia Ruben Fernandes Junior, pesquisador, doutor em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, professor e diretor da FAAP.

 

Nas trocas de saberes em conexões internacionais refletirão experimentações e experiências sob o signo deste momento de abismo e vertigem propostos na temática, que permeará a ocupação plena de ambientes de todo o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, dos Museus de Arte Contemporânea e da Cultura Cearense à Multigaleria; Cine Dragão, anfiteatro, passarelas do equipamento e até no Planetário, como pela Escola Porto Iracema das Artes.

 

Nessa atmosfera de vultosas fruições, é que também será apresentado no dia 8/12 o novo Prêmio Chico Albuquerque de Fotografia, homenageando o grande fotógrafo cearense na promoção e incentivos a talentos.

 

EXPOSIÇÕES

 

O Fotofestival SOLAR reunirá 05 (cinco) grandes exposições coletivas, em diversos ambientes do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

 

Com curadoria de Diógenes Moura, a exposição "Terra em Transe", em cartaz a partir de 5 de dezembro até março de 2019 no Museu de Arte Contemporânea, reúne 53 autores e fotógrafos brasileiros em apurados "retratos" ou "autorretratos" do País, cujas abordagens referenciam também ao filme de Glau- ber Rocha que dá nome à mostra. A "Terra em Transe" traz registros do Século XX à atualidade que, ora mostram o contínuo convívio do Brasil com abalos físicos e mentais nacionais, mas que se reequilibra também em focos criativos e de pensamentos originais, como versam nas imagens. A mostra enseja ainda o lançamento pelo premiado curador, escritor, roteirista e editor Diógenes Moura do seu "Livro dos Monólogos (Recuperação para ouvir objetos)", pela editora Vento Leste.

 

Já a exposição "Sueño de la Razón" ocupará o Museu da Cultura Cearense, vai exibir obras das oito edi- ções já lançadas da revista homônima à mostra, que há dez anos publica as colaborativas pesquisas de difusão e valorização fotográficas na América do Sul, em reflexões fundamentais sobre a histórica polí- tica editorial dos percursos e produção contemporânea da fotografia no continente pelos colaboradores e editores da publicação, Andrea Jösch, Daniel Sosa, Fredi Casco, Julieta Escardó, Luis Weinstein, Mateo Pérez, Nelson Garrido, Pio Figueroa, Roberto Huarcaya e Tiago Santana.

 

Também no lançamento do SOLAR 2018, abre a exposição "Sobre a Cor da sua Pele - O retrato na pin- tura, na fotografia e na fotopintura", com curadoria de Rosely Nakagawa em diversos acervos leva ao Museu da Cultura Cearense do Centro Dragão do Mar outra ponderação sobre as transformações no retrato. A mostra se alia também às pertinências autorais do Mestre fotopintor cearense Júlio Santos, como incita ao projeto já iniciado da criação no Estado de um Centro dedicado às coleções dessa tipo- logia de artes.

 

Complementam o quinteto de exposições no Fotofestival, a "MIRAGEM" com uma reveladora seleção de produções cearenses autorais contemporâneas, a partir de uma convocatória, com fotografias em abordagens documentais e experimentais na Multigaleria do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura; e a mostra VENTO SOLAR, organizada por ngela Berlinde nas ambiências externas do Centro Dragão do Mar, reflete sobre o ato de Ver e Acreditar através de mitos, contos e visões por visionários autores, como o artista e pensador espanhol Fontcuberta, a fotógrafa eslovena Vanja Bucan, a artista sul-africa- na Nobukho Nqaba e de Weronika Gsiscka.

 

O Fotofestival ainda incentivará aos convidados e visitantes a se envolverem em mostras paralelas alo- cadas em instituições parceiras de Fortaleza, como o Museu da Fotografia, com a exposição "Mind Ga- mes", de Roger Ballen; a Galeria Sem Título com mostra da artista Berna Reale; e a exposição de Celso Oliveira, na Galeria Imagem Brasil.

 

ATIVIDADES FORMATIVAS E TROCAS DE EXPERIMENTAÇÕES

 

Ainda na Escola Porto Iracema das Artes, as atividades vinculam-se ao Programa de Fotopoéticas, pla- taforma de formação experimental da Escola, que interliga a fotografia a outras linguagens. Sob coordenação da jornalista e fotógrafa Iana Soares, também uma das organizadoras do Fotofestival, ela distingue que nos cinco dias de lançamento, o evento promoverá oficinas, a fim de desenvolverem práticas criativas em percursos autorais, além de outros conteúdos programáticos que visam descen- tralizar a produção dos conteúdos para também evidenciar o protagonismo de narrativas próprias, in- clusive nas periferias, instigando partilhas de experiências com abalizados fotógrafos e educadores, como Miguel Chikaoka, Alexandre Sequeira, João Roberto Ripper e Walter Costa.

 

 

FEIRA DE FOTOLIVROS E EDITORAS, NOITE SOLAR COM PROJEÇÕES SONORAS E PRÊMIO SOLAR DE APRESENTAÇÃO DE PORTFÓLIOS

 

O Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura abrigará também na abertura do Fotofestival a Livraria Solar com mostras de fotolivros ZUM e lançamentos literários de importantes referências no gênero, envolvendo o público nessa semana inicial do evento.

 

Autores nacionais e internacionais marcarão presença autoral com projeções de ensaios fotográficos nas chamadas "Noite Solar", quando os expectadores terão uma experiência imagética e musical, emba lada por trilhas sonoras ao vivo, tendo uma delas executada pelo grupo mineiro Grivo com sua peculiar conjugação de sons e imagens.

 

Esses movimentos do SOLAR 2018 contextualizam também como cabe ao poder da imagem aliciar e deslumbrar na intensificação de manifestações sociais, intervindo em momentos precisos para demonstrar que a importância estética e política da imagem na sociedade entrelaça diversos públicos e linguagens.

 

No dia 8/12 será ainda anunciado o Prêmio Solar de Portfólio 2018, a partir da avaliação dos trabalhos selecionados na convocatória de Apresentação de Portfólios para autores nacionais e internacionais.

 

CICLO DE CINEMA - "IMAGENS VERTIGINOSAS"

 

O Fotofestival SOLAR, em parceria com o Cinema do Dragão, promove durante o evento o ciclo de cinema "Imagens Vertiginosas". O curador do Cine Dragão do Mar, Pedro Azevedo selecionou a exibição de filmes inéditos que privilegiam a sensibilização do público às representações da fotografia através do cinema, tendo no calendário as exibições dos filmes "Imagem e Palavra" (França), de Jean Luc Godard; "Diamantino" (Brasil/Portugal/França) por Gabriel Abrantes e Daniel Schimidt; além da sessão dupla com os curtas nacionais "Improvável Encontro" e "Prelúdio da Fúria", respectivamente de Lauro Escorel e de Gilvan Barreto, que farão após a sessão um debate sobre "Imagem, sentido e política" junto a Pedro Azevedo.

 

PROLONGAMENTOS DO SOLAR 2018

 

O lançamento do Fotofestival SOLAR 2018 traz na dimensão multicultural e em suas múltiplas latitudes, um congraçamento público em torno dos poderes da imagem e expressões artísticas. A ocupação pelo evento permanecerá em espaços do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e da Escola Porto Iracema das Artes após o dia 09 de dezembro. A programação completa do evento pode ser acompanhada no site oficial https://www.solarfotofestival.com.

 

Ainda no mesmo domingo (9/12) em que encerra a largada inicial do SOLAR 2018, o evento festejará também com um convite ao público para reafirmar comemorações em torno da valorização e promoção das artes, confraternizando no show inédito "OK OK OK" de Gilberto Gil, no Cine Teatro São Luiz, que também será transmitido por telões na Praça do Ferreira. O espetáculo fecha a abertura do Fotofestival, unindo-se ainda aos festejos pelos 60 anos do Cineteatro, na realização pela Secretaria da Cultura do Ceará, que se integra ainda à programação do Ceará Natal de Luz.

 

SERVIÇO: LANÇAMENTO DO FOTOFESTIVAL SOLAR 2018

 QUANDO: de 5 a 9 de dezembro de 2018

HORÁRIO: de quarta-feira a domingo, das 9h até 0h

 ONDE: Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (R. Dragão do Mar 81, Praia de Iracema - Fortaleza/Ceará). Telefones: +55 (85) 3488 8600 / (85) 3488 8608

Escola Porto Iracema das Artes (R.Dragão do Mar, 160 - Praia de Iracema -Fortaleza - Ceará). Telefones: (85) 3219 - 5865 / (85) 3219 - 5842

ACESSO: Gratuito. Livre.

MAIS INFORMAÇÕES : www.solarfotofestival.com

  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
PARCEIROS